08/03/2017

continuando!!


Omeu casamento foi uma serimonia simples
Eu não gostava de muitas pessoas aglomerada
Como todas as moças eu queria uma festa porém
Com poucos convidados apenas a família e alguns amigos mas próximo
E aí comesçou o primeiro desentendimento com o meu então noivo ele tem uma família enorme e queria convidar todo mundo fora os amigos,  mas com tudo isso era noivado ainda ele cedeu e fizemos uma festa pacata ficou mas fácil também já que eu quase não tinha família e amigos pra convidar os meus amig irmãoos deveria ser uns três e familiares eram minha irman  o meu irmão minha mãe e o meu padrasto e uma única tia  até as filhas dela que morava aqui em SP não foram no meu casamento passado o casamento fomos pra uma chamará no interior do estado que é do irmão do meu marido não vou entrar em detalhes porque passei muita raiva lá
Já que os meus sete cunhados foram passar lua de mel conosco,  voltamos em menos de três dias que estávamos lá
E dois meses depois descobrir que estava grávida,  pior notícias eu tinha muito medo de ter um filho não pelo parto mas pelas coisas que passei por medo de trazer alguém ao mundo e sofrer como eu sofri fiquei tão sem chão que só ficava em casa trancada comendo engordei 30 kl eu tinha 51 kl fiquei uma bola pior que eu estava me sentindo um lixo horrível mas não me controlava e terminei a gravidez com 80 kl tive um parto muito difícil peguei uma doença creio eu que no banheiro do posto de saúde e me senti humilhada quando a médica me falou com um tom que parecia que ela estava me chamando de puta, me internaram pra indução de parto porque já estava no tempo do bebê nascer e eu não tinha dilatação e eu fiquei lá sozinha como um animal abandonado de duas em duas horas tinha que por aquele comprimido na vagina e fazer toque e as dores comesaram vir e eu passei dezoito horas naquele sofrimento e minha filha nasceu,  foi pra um quarto no hospital lá me trataram muito bem era 1:44hs da manhã eu dormi com minha filha nos braços (melhor sensação do mundo)  e no outro dia 8:30 hs o meu marido chegou e minha mãe dei banho na minha filha pus roupinhas era a coisa mas linda,  mas tarde vieram as infermeiras pra fazer exames, recolheram o material estava contando os minutos pra ir pra minha casa, no outro dia pela manhã chega o médico e me fala que a minha filha estava icterícia um tipo de amarelinho que dar no bebê por ingerir o líquido na hora do nascimento,  ele disse que iria trazer o bercinho com as luzes que ela tinha que ficar para o quarto porém se o sangue dela não limpasse ela teria que ficar internada nossa eu fiquei enlouquecida e fiquei ainda mas três dias no hospital fora os dois que tem que ficar quando tem parto normal mas não adiantou o sangue dela não limpou e surgiu vaga no berçário aí não teve geito me deram alta e eu tive que ir embora sem a minha filha,  sai desesperada do hospital já eram aproximadamente. Dez horas da noite e eu coloquei a minha filha no bercinho todo cheio de luzes azul peladinha só de fraldas e óculos pra não prejudicar a visão dela e fui pra casa passei a noite acordada só esperando amanhecer pra voltar e logo ao amanhecer eu voltei e foi assim todos os dias eu não queria que ela ficasse sem o meu leite e também não conseguia ficar longe dela, ela ficou lá por mas uma semana sem mim e numa sexta feira ela teve alta eu arrumei ela coloquei faixinha na cabecinha careca. Ela ficou muito linda e fomos praias eu ficava babando toda hora e com três meses depois o meu marido inventou de arrendar uma padaria aí eu passei a deixar minha folhinha com a minha mãe pra ajudar o marido mas eu não confiava totalmente eu não dava sossego toda hora eu ligava falando pra mãe levar ela pra mama e eu nem trabalhava direito nem cuidava da minha filha direito e tinha muita vergonha de contar pro meu marido porque eu não confiava a na minha  mãe...

Continua

05/03/2017

de onde eu vim!!!!

Olá caros leitores
Eu sou a fran oliveira, nasci no Ceará no dia 02/03
Eu resolvi escrever sobre me depois de ter tentado escrever
Sobre vários outros assuntos que não deram certo então pensei porque não escrever sobre algo ou alguém que eu conheço bem demais aí decidir escrever sobre mim.

Me perdoem se a minha história não for tão interessante quanto eu acho, porém eu acho que existem mas mulheres passando pelo que eu passei ou até mesmo pelo que eu estou pensando em

Vou começar pelo início
Eu tinha uma família normal como todas crianças merecem ter quando eu tinha oito anos aconteceu algo que mudou a minha história, depois de muitas brigas o meu pai nos abandonou, foi embora de casa deixando pra trás a minha mãe com quatro crianças, sendo que uma mulher sem formação acadêmica com uma educação modelo antigo onde a mulher tinha que servi ao marido e esquecer da vida, não tinha casa própria e teve que trabalhar sozinha pra sustentar quatro filhos pagando aluguel e sem ajuda alguma quase todos os meses nos mudavam de casa e sempre indo pra uma pior por causa do valor e com isso eu e os meus irmãos perdíamos o aonde estudos em um ano e meio eu morei em mais ou menos umas cinco cidades diferentes sem falar nas casinhas diferente se é que pode chamar de casa já que várias vezes morávamos em um único cômodo por causa dessa situação as crianças todas começou trabalhar pra ajudar nas despesas de casa, ainda lembro o meu primeiro salário 30,00 por mês e ficamos assim durante dois anos e meio, como a minha mãe era evangélica tinha medo das pessoas falarem mal dela (de chamar ela de rapariga) e por isso segundo ela resolveu se casar novamente,
 Foi aí que começou um pesadelo na minha vida eu tinha 11 anos e o marido da minha mãe começou me aceitar
E sempre piorava eu não tinha com quem conversar a minha mãe nunca me deu a liberdade de ter um relacionamento com ela e quase nunca estava em casa como sempre trabalhando aquilo parecia um inferno
E eu de uma garota tímida e calada passei a ser também deprimida e só tinha Deus pra me ajudar apenas com ele eu desabafava era o meu único amigo e foi ele quem me deu força pra reagir pois se eu não tivesse tomado uma atitude eu teria sido violentada eu comecei a me defender e com isso virei uma pessoa muito agressiva e desconfiada de tudo e de todos eu até cheguei a falar pra minha mãe mas ela não acreditou em me, o tempo foi passando e como o meu padrasto viu que não iria conseguir o que ele queria
Comesçou me insultar e falar coisas orrendas sobre me a minha mãe desconfiava de me porquê a minha irmã fez algumas coisas erradas ele aproveitava isso pra piorar a situação,
 Ainda lembro o dia que ele falou assim pra minha mãe "você vai ver essa menina que se acha santa só está esperando com dezoito anos vai virar puta " e eu sempre pensava Jesus vai me guarda como fez até hoje é a minha vida vai ser melhor um dia!
Completei a maior idade nunca precisei fazer algo errado porque eu tinha a esperança que Deus tinha algo melhor pramim, a minha mãe veio pra SP e me deixou com o meu irmão o certo seria eu ter ficado lá estava empregada, porém minha mãe me orientava que moça que mora sozinho e vagabunda e eu seguia tudo que ela mandava como se fosse Sega ou algo assim, e o meu irmão casou com uma mulher que eu não tinha amizade e ficou muito complicado continuar com eles, então vin pra SP encontrar minha mãe eu tinha 20 anos foi em 2006 e em 2007 conheci o valdo eu não me apaixonei se é o que todos irão pensar eu nunca se apaixonava por ninguém eu queria casar com alguém que me respeitasse e que pudesse me proporciona uma vida digna e instável que eu nunca havia tido outro ponto que eu não deixava passar era uma casa própria o cara tinha que ter eu não queria passar pelo que a minha mãe passou, e o valdo se encaixava exatamente no perfil então comessei namorar ele é em três meses namoramos noivamos  E nós cansamos




Continua...



que encontrar?